Sua empresa pode ajudar a Canção Nova

 Juntos podemos construir um mundo novo.

A Fundação João Paulo II, para cumprir sua missão de evangelizar através dos meios de comunicação e formar homens novos para um mundo novo com a Rede de Desenvolvimento Social Canção Nova, conta com doações daqueles que se sentem comprometidos com a obra e seu crescimento.

Se você é colaborador ou proprietário de uma empresa tributada pelo regime de lucro real, saiba que sua empresa pode ajudar a Canção Nova na evangelização através dos Meios de Comunicação e na transformação de pessoas pela Rede de Desenvolvimento Social e ainda ter o valor deduzido no Imposto de Renda.

DSC_0449

Sua empresa poderá nos ajudar doando até 2% do seu lucro líquido, com isso restituirá 34% do valor doado no Imposto de Renda e contribuirá diretamente para o resgate de muitas pessoas. As doações, quando em dinheiro, serão feitas mediante crédito em conta corrente bancária diretamente em nome da Fundação João Paulo II. Mediante o depósito, a Fundação João Paulo II emitirá um recibo enumerado, aprovado pela Secretaria da Receita Federal.

Entre em contato através do telefone (12)3186-2600 ou pelo e-mail captacao@cancaonova.com e saiba mais.

O que é o CEBAS?


É um certificado concedido pelo Governo Federal, por intermédio dos Ministérios da Educação, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e da Saúde, às pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, reconhecidas como entidades beneficentes de assistência social que prestem serviços nas áreas de educação, assistência social ou saúde.

Quem tem direito ao CEBAS?

As pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, reconhecidas como entidades beneficentes de assistência social e que prestem serviços nas áreas de assistência social, saúde ou educação e que atendam ao disposto na Lei Nº 12.101, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2009.

Quem pode ajudar pelo CEBAS?

No Brasil, as pessoas jurídicas tributadas pelo regime de lucro real podem fazer jus ao incentivo do CEBAS e poderão doar até 2% do valor apurado como lucro operacional bruto, segundo a Lei 9.249/95 e IN SRF 11/96.

Assim, os incentivos fiscais para doação às organizações do terceiro setor não podem ser utilizados por empresas que são tributadas com base no lucro presumido ou arbitrado, bem como as microempresas e as empresas de pequeno porte inscritas no Simples.

Lembrando que: a lei prevê a dedução integral do valor das doações como despesa operacional até o limite de 2% do lucro operacional bruto.

Não há uma dedução do imposto de renda a ser pago, mas uma dedução da base de cálculo do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro.

Veja como é fácil realizar a sua doação e contribuir para o resgate de muitas pessoas.

 

Simule sua doação clicando aqui